Mulheres em Comunicação promovem encontro, em Maragogi

Fonte: Mabel Dias

Cerca de 30 mulheres, de diversos estados do Nordeste, estiveram reunidas nos dias 22 e 23, em Maragogi (AL), para discutir os desafios e perspectivas para o fortalecimento da Rede de Mulheres em Comunicação. O encontro contou com as participações das jornalistas, Denise Viola (RJ), Márcia Laranjeiras (PE) e Vera Vieira (SP), esta última da Rede de Mulheres em Educação, que ajudaram a construir estratégias políticas e ações voltadas à efetivação do direito humano à comunicação pelas mulheres.
O evento teve início na quinta (21), na Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP) com as palestras da professora de Comunicação e jornalista, Ana Veloso, e da assistente social, do Observatório Negro, de Recife, Ângela Nascimento. No painel

“A ação dos movimentos sociais e a busca da democratização da comunicação no Brasil”, Ana Veloso fez um retrospecto sobre a política de comunicação brasileira, a partir dos anos 90, e apontou as principais dificuldades e conquistas dos movimentos sociais para efetivação deste direito. “É urgente a decisão de articular junto com outras lutas sociais, novas formas de pensar o mundo, para além da dicotomia homem e mulher, pobres e ricos, e para isto, será imperativa a mobilização de sujeitos capazes de produzir um discurso e uma ação política propositivas junto ao Estado para colaborar com o desmantelamento dos sistemas de dominação que alicerçam a sociedade global”, afirmou Ana Veloso.

A visão da mídia em relação à população negra foi o tema da exposição de Ângela Nascimento. Ela apresentou alguns exemplos deste preconceito, presente em peças publicitárias, novelas, revistas e quadrinhos e mostrou as ações de monitoramento e denúncias junto ao Ministério Público de Pernambuco que o Observatório Negro realiza no combate ao racismo para a promoção da identidade negra.
Diversos exemplos de comunicação popular e colaborativas foram apresentadas no encontro, como o Mídia Advocacy, o programa Rádio Mulher e o site OmbudsPE, dando assim um panorama do que está sendo produzido pelas e para as mulheres, fora dos padrões da mídia comercial.

História – A Rede de Mulheres em Comunicação, antiga Rede de Mulheres no Rádio, formada em 1995, vê nas mídias espaços públicos de práticas pedagógicas e cidadãs, tendo como proposta superar a visão estereotipada da mulher pelos meios de comunicação e profissionais da mídia

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s